No final do mandato, todos podem ver como a promessa do PS de “virar a página da austeridade” foi uma gigantesca mentira.

De acordo com um estudo que juntou a Universidade de Lisboa e a Universidade Católica, o rendimento mínimo para uma única pessoa viver com dignidade em Portugal era cerca de 800€ mensais já no final de 2016. A direcção da CGTP afirmou mesmo que “Tendo o SMN sido implementado em 1974, caso evoluísse até hoje, de acordo com a inflação e a produtividade verificada, o seu valor corresponderia a 1.267€, em 2018”. Mas temos um SMN de 600€, menos de metade do salário real em 1974 e 200€ abaixo do valor necessário em 2016.

Cada vez mais precários, somos já 1 milhão e 245 mil a “viver” deste SMN de pobreza. Para sair desta situação, há que unir as lutas. É por isso que defendemos a solidariedade entre todas as organizações de trabalhadores, a unidade do movimento sindical e da esquerda ao redor da reivindicação de um SMN de 900€ imediatamente, além das 35 horas semanais para todos e da contratação colectiva como os primeiros passos para uma vida digna!
Saudamos o aumento da reivindicação para os 850€ da direcção da CGTP e deixamos claro o nosso compromisso em lutar, lada-a-lado com os trabalhadores e as suas organizações, pelo aumento imediato do SMN.

É urgente construir uma grande greve geral que unifique a onda de greves em curso, com próximo passo de um plano de luta consequente. Pelo aumento imediato do SMN, a redução da jornada de trabalho, a defesa da contratação colectiva – revogando as normas anti-laborais – e o pleno direito à greve – contra a lei da requisição civil!

Salário Mínimo de 900€!
35 horas para todos!
Contratação colectiva!

Sindicato de Estudantes

Os cookies facilitam o fornecimento dos nossos serviços. Ao usares estes serviços, estás a permitir-nos usar cookies.
Mais Informações Ok