A degradação dos serviços da Soflusa (falta de condições sanitárias, constantes atrasos e supressões de carreiras, não renovação da frota e contratação de mestres) que se tem vindo a manifestar ao longo dos últimos anos e principalmente na travessia Barreiro – Lisboa, atingiu um momento de ruptura com a implementação dos novos passes sociais, e consequentemente com o aumento da percentagem de passageiros.

Há cerca de dois meses que os mestres, membros do Sindicato de Transportes Fluviais, Costeiros e da Marinha Mercante (STFCMM), fazem greve às horas extra resultando desta forma numa série de supressões diárias nas travessias.

Entre 8 a 10 de Julho os mestres realizam nova greve na Soflusa contestando o incumprimento do pagamento do prémio de chefia por parte da Administração (acordo estabelecido a 31 de Maio); os dados apresentados ontem demonstram uma adesão a 100% dos trabalhadores.

Os constrangimentos que as supressões criam no quotidiano dos passageiros estão a ser instrumentalizados pela Administração da Soflusa e os media burgueses para alimentar a desinformação e fúria dos passageiros contra os mestres; colocando dessa forma trabalhadores contra trabalhadores.

Enquanto Esquerda Revolucionária, queremos demonstrar a nossa total solidariedade com a luta dos mestres, apelando à convergência e solidariedade de todas as lutas dos trabalhadores que têm vindo a acontecer este ano, preparando uma greve geral que unifique a onda de greves em curso pelo país. Apenas a luta organizada da classe trabalhadora pode resultar na implementação de transportes públicos de qualidade e gratuitos, que tenha em conta as necessidades reais dos trabalhadores e de passageiros.

Sindicato de Estudantes

Os cookies facilitam o fornecimento dos nossos serviços. Ao usares estes serviços, estás a permitir-nos usar cookies.
Mais Informações Ok