Não passarão!

A organização de um encontro europeu de extrema-direita pela Nova Ordem Social (NOS), em Lisboa, é um ataque contra os trabalhadores e a juventude que requer a mais enérgica resposta de toda a esquerda.

A NOS é uma organização fascista liderada por Mário Machado, com ligações ao tráfico de armas, tráfico de droga e tráfico humano, e responsável por incontáveis ataques homofóbicos e racistas, entre os quais está o assassinato de Alcindo Monteiro no Bairro Alto, em 1995. Ainda assim, o encontro acontece com completa conivência de todo o aparelho de Estado — e, acima de tudo, da polícia —, mostrando quanto vale para o governo o papel timbrado da Constituição onde se proíbe a disseminação de ideias fascistas.

Isto não é surpreendente quando sabemos que as forças policiais estão cheias de elementos de extrema-direita. Estes chegam a declarar-se publicamente sem sofrer qualquer consequência. Vimos isto na recente manifestação de polícias onde se exibiram saudações nazis, vemos isto com cada assassinato racista às mãos da polícia, com os casos de tortura como o da esquadra de Alfragide, em 2015, com as agressões racistas constantes nos bairros pobres de Lisboa, como a do Bairro da Jamaica em Janeiro deste ano… E vemos isso agora, com a “conferência” europeia de extrema-direita.

A Esquerda Revolucionária junta-se à manifestação contra este encontro, e apela a todas as organizações dos trabalhadores e da esquerda para que façam o mesmo e mobilizem energicamente os trabalhadores e a juventude para uma luta antifascista continuada e consequente. É necessária uma resposta firme das organizações de trabalhadores e da esquerda face a provocações como este encontro. Abdicar de mobilizar por todos os meios é um erro perigoso que dá espaço ao crescimento de ideias reaccionárias entre a nossa classe, dividindo os trabalhadores em linhas raciais e nacionais, de género, etc.

Num momento de crise profunda do sistema capitalista, a extrema-direita tenta convencer os trabalhadores e a juventude de que o seu inimigo são os imigrantes, as mulheres que lutam por direitos, as pessoas LGBT+, enfim, todos os oprimidos. Estas bestas tentam a todo o custo esconder aquilo que se torna cada vez mais evidente: os nossos inimigos são os que lucram com a nossa miséria.

Mas a classe trabalhadora é internacional, os seus interesses são os mesmos em todo o globo! E é a nossa classe, organizada, a única força capaz de derrotar o fascismo! É por isso que qualquer inacção dos dirigentes das organizações de trabalhadores, que sempre foi a principal condição para o crescimento da extrema-direita, é tão perigosa e tem de ser corrigida.

Há que tomar as ruas, há que mostrar que não aceitamos que estes assassinos se organizem e disseminem as suas ideias de ódio contra a classe trabalhadora — as mulheres, os negros, os imigrantes, pessoas LGBT+ e todos os oprimidos. Só a nossa classe é capaz de construir uma sociedade livre de tudo aquilo que alimenta o fascismo, livre de exploração e opressão: o socialismo.

Pelo bloqueio e proibição de todo o tipo de organizações e eventos fascistas!

Pelo saneamento e condenação de todos os polícias fascistas e racistas!

Organiza-te na luta contra o fascismo! Organiza-te na luta pelo socialismo!

Junta-te à Esquerda Revolucionária!

Sindicato de Estudantes

Os cookies facilitam o fornecimento dos nossos serviços. Ao usares estes serviços, estás a permitir-nos usar cookies.
Mais Informações Ok